Conheça a abordagem da Terapia Ocupacional na Neurologia – Adultos e Crianças

Os indivíduos que sofreram uma lesão no Sistema Nervoso Central ou Periférico, podem apresentar distúrbios em diversos sistemas que compõe o corpo humano, o que muitas vezes irá prejudicar o seu desempenho ocupacional.

A Terapia Ocupacional Neurológica é fundamental na reabilitação, uma vez que visa resgatar o papel do indivíduo dentro da sociedade, bem como promover o máximo de independência e autonomia nas actividades de vida diária (AVD’s).

O tratamento é baseado em diversas abordagens de reabilitação motora, cognitiva, prescrição de equipamento e/ou adaptação ambiental, ortóteses para os membros superiores e treino das AVD’s conforme as necessidades e interesses de cada paciente.

O mesmo enfoque é mantido na população pediátrica. A Terapia Ocupacional Infantil, procura ensinar a criança a realizar as actividades básicas que compõem o seu dia-a-dia: alimentação, higiene pessoal e o vestir/despir são algumas dessas actividades. O brincar é a principal ferramenta para alcançar os objectivos terapêuticos na infância, uma vez que, durante o brincar, a criança não restringe a atenção nem a vontade em praticar as actividades, o que irá levar a aquisição de noções básicas como motricidade, lateralidade, equilíbrio e noções avançadas como o trabalho em equipe e comunicação.

Quando é que a Terapia Ocupacional Infantil é necessária?

Não é fácil para os pais reconhecerem que o filho necessita de algum tipo de terapia. Frequentemente as dificuldades apresentadas pelas crianças são menosprezadas pelos responsáveis e, quando observadas, são consideradas atrasos simples no desenvolvimento. O facto de não procurar a Terapia Ocupacional Infantil, pode ter consequências irreversíveis no desenvolvimento da criança, uma vez que o diagnóstico e tratamento precoce está directamente relacionado a um melhor resultado terapêutico. Se perceber que o seu filho não realiza as actividades do quotidiano da forma como deveria, procure ajuda especializada. A presença constante dos pais no quotidiano dos filhos, em diferentes situações, irá facilitar a detecção de alguma dificuldade.

Indicações:

  • – Acidente Vascular Cerebral (AVC);
  • – Traumatismo Crânio-Encefálico (TCE);
  • – Lesão Medular (LM);
  • – Parkinson;
  • – Esclerose Múltipla;
  • – Paralisia Cerebral (PC);
  • – Outras doenças que acometam o SNC ou Periférico.

 

Quer saber mais sobre intervenção em casos de AVC? Participe na nossa formação – Intervenção domiciliária em casos de AVC – 25 de Março em Oeiras.

 
Conheça aqui os conteúdos da formação – Intervenção domiciliária em Casos de AVC

 


Fonte: Revista Guia Saúde Actual

Autora: Flávia Hohl Deriggi
Graduada pela Faculdade de Medicina da USP Ribeirão Preto;
Especialista em Neurologia Clínica pelo Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto;
Especialista no método de Reabilitação Neurológica Bobath.

Leave a Comment

Partilhe :)