Date: Novembro 19, 2020

Author: Eu Consigo

Tags:

No Comments »

Os cuidadores e a pandemia

Fonte:1*

Texto de: Inês Gomes

A situação mundial atual trouxe diversas mudanças na vida das pessoas o que levou a um aumento dos problemas de saúde mental. De repente, vimos as nossas rotinas completamente alteradas, deixámos de poder sair à rua, de visitar os entes queridos, de abraçar quem amamos, de ir trabalhar/escola e muitas pessoas viram-se “obrigadas” a estar 24h/24h com os seus filhos, maridos, entre outros, o que para muita gente foi de difícil gestão. Imagine-se para os cuidadores, que deixaram de ter os apoios dos quais necessitam como os centros de dia que, ou reduziram os horários ou encerraram, centros de apoio domiciliar que deixaram de ir ao domicílio ajudar nas atividades da vida diária, sendo que muitas vezes este tempo era o único momento que eles tinham para conseguir realizar atividades essenciais para eles. O que pode ser feito para ajudá-los?

O termo cuidador designa um membro da família ou não, que assumiu a função de cuidar, exercendo todos os cuidados que a outra pessoa necessita, caracterizando-se como figura principal no seu acompanhamento que, no caso, apresenta incapacidades temporárias ou definitivas.

Atualmente, cada vez mais há o reconhecimento dos cuidadores sendo que é importante estes preservarem a sua saúde.  Com a pandemia a devastar o mundo e com o consequente confinamento, os cuidadores depararam-se com novos desafios e riscos acrescidos. Existem diversas notícias relacionadas com este tema e que comprovam através de testemunhos reais que a saúde destes foi afetada durante a pandemia, existindo uma maior vulnerabilidade. Esta vulnerabilidade deve-se a diversos fatores entre os quais o facto de terem medo que a pessoa de quem cuidam apanhe o vírus, o que cria uma maior ansiedade por parte de ambas as partes.

É importante que o cuidador perceba se está bem ou se algo está errado sendo que para ajudar neste processo, a Ordem dos Psicólogos Portugueses lançou, no seu site, uma checklist para cuidadores, com parâmetros que permitem identificar sinais de alerta. Estes sinais de alerta podem ser alterações do sono, do apetite, sintomas de ansiedade, não conseguir tomar decisões, haver lacunas até nos cuidados prestados e a perda de prazer em realizar atividades de interesse. A tendência dos cuidadores é negligenciar estes sinais porque sentem que estão sozinhos e não têm a quem recorrer. Por este motivo, é de realçar que existe uma linha de apoio psicológico na SNS24, através da qual a pessoa é posta em contacto com um psicólogo.

Para além do apoio psicológico, é preciso outros apoios para que os cuidadores se sintam melhor, tenham uma melhor qualidade de vida e se preservem.

A Terapia Ocupacional é um exemplo de um apoio que pode ajudar a evitar um declínio na saúde mental dos cuidadores através da terapia ao domicílio ou da terapia online. O terapeuta irá fornecer e ensinar estratégias ao cuidador que o ajudarão na sua rotina diária de modo a evitar o esforço excessivo do mesmo. Irá também intervir com o cliente de modo a promover a maior autonomia e independência possível, de forma a “alivar” o cuidador para este ter mais tempo para os seus interesses e não estar 24h/24h preocupado com quem está a cuidar. A Terapia Ocupacional pode ajudar ainda na reestruturação da rotina, permitindo quer à pessoa cuidada realizar atividades do seu interesse, quer ao cuidador ter tempo para realizar atividades do seu interesse também ou até mesmo as suas atividades da vida diária como a higiene pessoal, alimentar-se, tomar banho, entre outras.  Através destas adaptações na rotina das pessoas é possível obter um melhoramento a nível da saúde mental durante a pandemia. Para além disto, o terapeuta pode igualmente aconselhar soluções de descanso para o cuidador, como é o caso da opção “Descanso do Cuidador” (//eportugal.gov.pt/cidadaos/cuidador-informal/descanso-do-cuidador) inserida na Rede de Cuidados Continuados Integrados, de modo a evitar que este entre num estado de exaustão e deixe de conseguir cuidar. O controlo da ansiedade e stress são fatores importantes para obter melhorias, sendo que o terapeuta ocupacional pode aconselhar exercícios de relaxamento para ajudar no controlo dos mesmos.

O terapeuta pode também aconselhar adaptações no domicílio ou noutro contexto de forma a promover a autonomia e independência do cliente, o que permite ao cuidador ter mais tempo disponível.

Em suma, os cuidadores são pessoas que não devem ser esquecidas e que são essenciais para o outro precisando muitas vezes de apoio para obterem uma melhor qualidade vida e para se lembrarem que eles também precisam de cuidados. Para isto, existem diversas respostas sociais e terapias que lhes dão apoio tal como é o caso da Terapia Ocupacional.

1*-//www.larsitiodaluz.pt/alimentacao/idosos ; //www.hopkinsmedicalproducts.com/shampoo-trays-personal-care-products/p/EZ-Shower/ ; //www.webmd.com/healthy-aging/caregiver-17/default.htm ; //pt.dreamstime.com/o-cuidador-ajuda-anci%C3%A3o-levantar-se-image138429212

Leave a Comment

Partilhe :)