5 palavras-chave do cuidador

Ser cuidador de uma pessoa idosa, com incapacidade ou com deficiência pode ser um desafio para o qual nem todos estamos preparados. Dependendo das circunstâncias específicas de cada caso, pode requerer maior ou menor resistência física, mas é quase sempre uma situação exigente do ponto de vista psicológico. Quer seja cuidador profissional, quer exerça essa função junto de um membro da família ou do seu círculo de amigos, certamente já se deparou com situações em que se sentiu inseguro, perguntou a si próprio se estaria a dar a resposta mais adequada e se o seu esforço estaria a produzir os efeitos desejados. Muitos cuidadores sentem também que o seu trabalho não é devidamente reconhecido pelos restantes membros da família e até pela sociedade em geral. Eis algumas ideias-chave que poderão ajudar :

Capacitação

Capacitar a pessoa ao cuidado é uma das estratégias fundamentais que um cuidador deve adoptar. Isto significa que, em vez de substituir a pessoa ao cuidado na realização de uma tarefa ou actividade, devemos estimulá-la a fazê-la por si própria sempre que possível e na medida das suas capacidades. Se a pessoa consegue comer sozinha não devemos, portanto, alimentá-la como se não conseguisse. Ao subestimar a capacidade da pessoa ao cuidado estamos a prejudicar a sua auto-estima. Do mesmo modo, ao valorizar tudo o que a pessoa é capaz de fazer, caminhamos no sentido da autoconfiança, o que só pode beneficiar quer a recuperação, quer a relação entre cuidador e pessoa ao cuidado. Ao capacitar tiramos o foco da incapacidade e colocamo-lo na capacidade.

Segurança

Para combater o sentimento de insegurança sobre a forma como estamos exercer o cuidado, é fundamental apostar na preparação. Existem protocolos, regras e procedimentos que devemos conhecer antes de deitarmos mãos à obra. É claro que um cuidador informal não precisa de ter os mesmos conhecimentos de um profissional, mas dominar um conjunto de conceitos básicos e perceber os fundamentos do trabalho de cuidador vai contribuir para que proteja a sua saúde e a da pessoa ao cuidado. Saber transferir uma pessoa de uma cama para uma cadeira de rodas, saber que produtos de apoio podem auxiliar o seu trabalho ou aconselhar-se com quem domina as estratégias de comunicação com pessoas com patologias específicas pode fazer toda a diferença.

Estimulação

A ideia de envelhecer, perder capacidades e passar a uma existência passiva, sem interesses e actividades que nos realizem, é assustadora. O cuidador deve ter a capacidade de se colocar no lugar da pessoa ao cuidado e desejar para ela o mesmo que deseja para si: uma vida plena, com objectivos e vontade de cumpri-los. Quando a ausência de estímulos é uma realidade, a pessoa ao cuidado perde a iniciativa e é preciso apostar na estimulação, quer através dos cinco sentidos, que podem e devem ser usados, quer através do recurso às capacidades cognitivas preservadas. Um álbum de fotografias, por exemplo, pode servir para estimular a memória e despertar emoções adormecidas.

Exaustão

Também conhecida por “Burnout”, a exaustão do cuidador acontece quando este ultrapassa os seus limites de resistência, concentrando-se na sua função ao ponto de deixar de desempenhar outros papéis igualmente importantes, negligenciando a própria saúde e vida social. A consequência é muitas vezes que o cuidado perde qualidade, uma vez que o próprio cuidador passar a precisar de ser cuidado. Importa aprender a reconhecer os sintomas e a adoptar as estratégias corretas para evitar o “Burnout”.

Solidão

É importante que quem cuida saiba que não está sozinho, mas antes inserido numa cada vez maior comunidade de cuidadores com preocupações e interesses semelhantes, técnicos especializados que querem partilhar o seu conhecimento e organizações que desenvolvem iniciativas para informar, formar, aconselhar e apoiar os cuidadores.

Se é cuidador e gostaria de conhecer outros cuidadores, partilhar e aprender estratégias, conheça a formação “Cuidar Bem, Cuidando-se” e passe a dizer “Eu Consigo”! A nossa equipa está cá para ajudar.

 

Leave a Comment

Partilhe :)