Síndrome do Túnel Cárpico

Síndrome do Túnel Cárpico

A Síndrome do Túnel Cárpico é caracterizada como uma neuropatia resultante da compressão do nervo mediano no canal do carpo, estrutura anatómica que se encontra entre a mão e o antebraço. Qualquer movimento que aumente a pressão dentro do canal pode provocar a compressão do nervo mediano e, consequentemente, dar origem à Síndrome do Túnel do Carpo.

A incidência desta patologia é bastante elevada, compreendendo cerca de 40,8% das doenças classificadas como Lesões por Esforços Repetitivos/Distúrbios Osteomusculares Relacionados com o Trabalho (LER/DORT), apresentando maior incidência nas mulheres a partir dos 45 anos.

No dia-a-dia, existem diversas atividades domésticas que acarretam uma sobrecarga no nervo mediano tais como cortar alimentos, mexer na panela, lavar pratos, esfregar paredes, torcer a roupa com as mãos, passar a roupa, entre outras.

A lesão na mão pode afetar a independência das pessoas na realização das suas atividades da vida diária (AVD’s), uma vez que causa desconforto e resistência durante a realização das mesmas.

Sintomas

 A Síndrome do Túnel Cárpico tem tendência a ser progressiva, isto é, os sintomas começam discretamente e vão piorando com o passar do tempo. Inicialmente as pessoas costumam sentir dormência e dor leve e esporádica nos primeiros três dedos da mão (ver imagem).

(Fonte: //www.neurocirurgiabh.com.br/tunel-do-carpo)

Estes sintomas surgem principalmente à noite ou em determinados movimentos e posições da mão.

Com a evolução, vão se tornando cada vez mais intensos e frequentes, podendo piorar ao ponto da pessoa se sentir totalmente incapacitada por não ser capaz de executar tarefas do seu quotidiano que antes considerava simples. Atividades como lavar a roupa ou escrever no teclado do computador. Quando o caso está mais avançado pode ocorrer fraqueza e até atrofia muscular (ver imagem).

  (Fonte: //www.neurocirurgiabh.com.br/tunel-do-carpo)

Prevenção

Sabendo que o ambiente e as tarefas realizadas no trabalho são uma das principais causas para o aparecimento desta Síndrome é fundamental observar a pessoa e perceber de que forma realiza a sua ocupação.

O trabalho da Terapia Ocupacional na prevenção passa por fornecer estratégias e orientações de proteção articular e ergonomia no que diz respeito à realização das atividades domésticas e diárias com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da pessoa e prevenir a evolução dos sintomas.

Nas empresas, a ginástica laboral é um dos programas de exercícios mais indicado para prevenir e eliminar os casos de doenças profissionais. Esta envolve exercícios de alongamentos, fortalecimento muscular, exercícios de compensação para movimentos repetitivos e para posturas incorretas, proporcionando ao trabalhador o relaxamento físico e mental.

A Eu Consigo é uma entidade certificada pela DGERT e realiza formação no âmbito da prevenção de doenças profissionais, podendo realizar essa formação nas próprias instalações da entidade cliente ou num espaço a fornecer pela Eu Consigo. O objetivo desta formação é ensinar conceitos e estratégias para que os trabalhadores possam proteger-se e evitar patologias como a Síndrome do Túnel Cárpico. Saiba mais sobre este programa de formação aqui.

Tratamento

Em relação ao tratamento, há duas opções: o tratamento conservador e o cirúrgico. Porém, inicialmente, o tratamento deve ser conservador, devendo o paciente ser encaminhado para a reabilitação como primeira alternativa terapêutica para reduzir consideravelmente a sintomatologia. Em alguns casos este tratamento pode não ser suficiente e então recomenda-se a cirurgia.

Intervenção da Terapia Ocupacional

O Terapeuta Ocupacional está preparado para desenvolver a intervenção através da reabilitação de mão, não só por conhecer a sua anatomia e biomecânica, mas também as competências, padrões de desempenho e ocupação do cliente. O plano de intervenção tem como objetivo aumentar a independência na realização das atividades de vida diária e reduzir os fatores de risco que influenciam o desempenho ocupacional.

Por conseguinte, a abordagem do Terapeuta Ocupacional visa:

  • – Prevenção de deformidades
  • – Treino da independência nas atividades de vida diária (AVDs) e do quotidiano
  • – Confeção de ortóteses e/ou adaptações
  • – Controlo do edema
  • – Promover a amplitude de movimento e força
  • – Manipulação e dessensibilização da cicatriz
  • – Reeducação sensitiva
  • – Adaptação do ambiente de trabalho

 

Gostaria de marcar uma consulta de avaliação de Terapia Ocupacional? Fale connosco:

📧 geral@projectoeuconsigo.pt

📞 96 679 17 99

 

Fontes:
//www.neurocirurgiabh.com.br/tunel-do-carpo
//www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/124/83
//revistas.ufrj.br/index.php/ribto/article/view/10657/pdf

 

 

 

 

Leave a Comment

Partilhe :)