Date: Fevereiro 5, 2018

Author: Joana Emauz Madruga

Tags: , ,

No Comments »

Dicas para cuidadores de vítimas de AVC – Posicionamento na cama

O posicionamento correcto e a mobilização dos segmentos corporais são muito importantes para o sucesso da reeducação motora pós-AVC. Infelizmente, este procedimentos nem sempre são explicados aos clientes e familiares na fase de recobro ou de alta hospitalar. Por esse motivo deixamos aqui algumas dicas a ter em conta no posicionamento da pessoa com AVC na cama.

Lembre-se que cada caso de AVC é diferente e que estas estratégias devem ser adaptadas às capacidades de cada pessoa. Caso tenha alguma dúvida fale com um Terapeuta Ocupacional.

Posicionamento deitado de barriga para cima (decúbito dorsal):

Para além da almofada para a cabeça, coloque uma almofada pequena sob o ombro de modo a proteger esta articulação (evitando a retracção escapular observada na fase de flacidez).

O membro superior lesado deve estar apoiado numa almofada, ligeiramente afastado do corpo, com o cotovelo praticamente em extensão e com a palma da mão virada para o tecto. É importante alternar o posicionamento do corpo e dos membros para evitar o aparecimento de escaras, desconfortos, lesões articulares e dor. Pode-se então alternar a postura colocando uma almofada entre o braço e o tronco, cotovelo semiflexionado e antebraço na linha média – como se estivesse a abraçar a almofada – posição do “abraço” (ver imagem).

No que diz respeito à mão é importante que esta se encontre numa posição elevada para melhorar o fluxo sanguíneo e diminuir o edema.

Quanto ao membro inferior, coloque uma pequena almofada (pode ser uma toalha pequena enrolada) para evitar que a articulação do joelho fique completamente em extensão. Esta deve ficar semiflectida (ver imagem).

Posicionamento deitado de lado (decúbito lateral):

Deve-se evitar as posições de barriga para baixo (decúbito ventral) ou deitado de lado sobre o membro comprometido. Na posição de decúbito lateral deve ser colocada uma almofada pequena entre as pernas. Em relação ao membro superior pode ser adoptada a posição do “abraço” – ver imagem.

É importante a alternância de posicionamentos bem como as transferências da cama para a cadeira de rodas de forma a evitar longos períodos de imobilização e inércia. A imobilização pode levar a pessoa a ter:

. Úlceras de pressão;
. Rigidez articular;
. Infecções respiratórias;
. Infecções urinárias;
. Trombose dos membros inferiores;
. Diminuição do tónus muscular;
. Contratura de articulações e deformidades;
. Perda de cálcio;
. Aumento de ansiedade, apatia e isolamento social;
. Diminuição de apetite;
. Obstipação.

São vários os benefícios do posicionamento correcto e alternado, bem como do levante/transferências:

. Estimula a circulação, respiração, eliminação e actividade
muscular;
. Facilita a mobilidade de secreções brônquicas;
. Mantém a amplitude articular;
. Mantém a integridade cutânea;
. Previne atro¬as musculares;
. Proporciona conforto e bem-estar;
. Alterna o campo visual;
. Permite a readaptação da posição de pé ou sentado;
. Facilita a interacção de papéis;
. Permite a deslocação e realização de actividades.

Solicite a ajuda de um Terapeuta Ocupacional para saber qual o posicionamento mais adequado tendo por base as características e capacidades da pessoa vítima de AVC.

Sabia que o processo de reabilitação pós-AVC e/ou alta hospitalar pode ser feito em casa? Nós vamos ter consigo. Contacte-nos para saber mais informações ou para marcar uma consulta de avaliação:

 
📧 geral@projectoeuconsigo.pt

📞 96 679 17 99

 

Leave a Comment

Subscreva a nossa newsletter e receba todas as novidades

O que é a Terapia Ocupacional?

Copyright 2012 - Eu Consigo. All Rights Reserved Em caso de litígio o foro competente será o Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa

scroll to top

Partilhe :)